Portal oficial RCC Bragança Paulista

nossa_historia

Surgimento da RCC:

A Renovação Carismática Católica (RCC) surgiu no momento em que se começava a procurar caminhos para pôr em prática uma renovação eclesial desejada pelo Concílio Vaticano II.

Conscientes de que a força da comunidade cristã primitiva estivera na vinda do Espírito Santo em Pentecostes e reconhecendo que havia um certo vazio – falta de dinamismo e debilidade espiritual em suas orações e atividades, ainda que não pudessem especificar o porquê – no outono de 1966, um grupo de pessoas, membros de faculdades da Universidade de Duquesne do Espírito Santo começaram a orar para que esse Divino Espírito manifestasse neles Sua presença cheia de poder, em favor de sua própria vida espiritual e do trabalho apostólico.

Desta forma, os professores de Pittsburgh (EUA) clamavam em oração que o Espírito Santo lhes concedesse uma renovação e que o vazio que seus esforços humanos haviam deixado fosse plenificado com a vida poderosa do Senhor ressuscitado.

A partir de 1967, houve uma explosão de manifestações de Deus na vida de muitos grupos que insistentemente pediam a renovação no Espírito Santo. A história da Igreja Católica nos mostra que esse fato está ligado a outros acontecimentos que propiciaram o surgimento da RCC.

Já em fins do século XIX, o Papa Leão XIII escreveu uma Encíclica sobre a Pessoa do Espírito Santo, incomodado que ficou com a insistência da religiosa Helena Guerra que lhe escrevia falando da pouca atenção que a Igreja dava à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Além de se preocupar em fazer a doutrina do Espírito Santo Paráclito mais popular, escreveu também uma ladainha para Ele e, no fim do século XIX, esse mesmo Pontífice celebra uma Missa consagrando o século XIX à Pessoa do Espírito Santo.

Nesse século, o Papa João XXIII manifestou o desejo de que o Concílio Vaticano II fosse guiado por Ele [Espírito Santo]. E, ao convocar o Concílio, o Sumo Pontifíce rezava pedindo um novo Pentecostes para toda a Igreja. O Concílio, então, dá fundamentação para que mais adiante a RCC surgisse.

A RCC NO BRASIL:

No começo dos anos 70, alguns sarcedotes jesuítas – entre eles padre Eduardo Dougherty, padre Haroldo Rahm e padre Sales – começaram a realizar retiros chamados de Experiência do Espírito Santo que se espalharam por todo o Brasil.

Realizavam grupos de oração, reuniões de planejamento e, à medida que isso acontecia, a RCC se expandia, surgindo, então, instâncias de coordenação, a princípio em Campinas, depois Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. Portanto, foi a partir da Casa de Retiros de Campinas que a Renovação teve seu começo em nosso país.

A Renovação foi se organizando nas paróquias, dioceses e nos Estados, através das equipes de serviço que se formavam com as pessoas comprometidas mais diretamente, tendo todo o seu trabalho orientado por uma Comissão Nacional. Depois de algum tempo, formou-se também o Conselho Nacional que é composto pelos coordenadores estaduais.
Atualmente, esse movimento eclesial está presente, de maneira organizada e realizando um trabalho pastoral, em 268 dioceses do Brasil, chegando a evangelizar perto de 60 mil grupos de oração.

A RCC NA DIOCESE DE BRAGANÇA PAULISTA

Na diocese de Bragança Paulista, a RCC teve início no ano de 1975, trazida pelo jovem estudante João Carlos M. Vasconcelos (Joca).

Joca conheceu toda a estrutura da Renovação Carismática em um encontro de avaliação da Pastoral da Juventude da Regional Sul I da CNBB São Paulo, no qual estavam presentes várias Dioceses que tinham a Pastoral da Juventude organizada e representativa. O encontro foi difícil, pois havia disputa entre Dioceses, suas lideranças, diretores e sacerdotes, não havia unidade sobre as propostas de encaminhamento. Segundo os relatos do Joca, um grupo lhe chamou atenção, se destacando por seus frutos e testemunhos – Diocese de Lorena. Dentro deste grupo participavam além de outros membros; Luzia Santiago e Padre Jonas Abib. O que marcava neste grupo não eram somente as propostas e encaminhamentos, mas as atitudes e posturas; no final de cada trabalho, eles iam para a Capela do Mosteiro, enquanto os demais, iam brincar, cantar, descansar. O grupo tinha espiritualidade, musicalidade, todos partilhavam e meditavam a Palavra de Deus, todos com a bíblia nas mãos. Isso despertou a curiosidade de Joca que começou a se corresponder com Luzia Santiago, e junto com ela participou de sua primeira vigília espiritual, na casa de uma senhora muito piedosa, conhecida por todos como TIA LAURA.Joca teve sua primeira experiência de oração em um retiro espiritual que aconteceu na cidade Areias, nos dias 12 a 14 de setembro de 1975. O retiro aconteceu em um lugar bem rústico, simples, sem energia elétrica, afastado da cidade. Era um retiro somente para homens e foi conduzido pelo Padre Jonas e pelo então Bispo de Lorena, D. Antônio Afonso de Miranda. Impactado com tudo o que havia experimentado no final de semana, em especial o Batismo no Espírito Santo, com o olhar voltado para Nossa Senhora, que como ele mesmo relatou, se transformou em uma realidade em sua vida, Joca apresenta a RCC à Diocese de Bragança Paulista, realizando o primeiro grupo de oração em sua residência, no dia 05/10/1975. Na primeira reunião de oração estavam presentes 15 participantes, mas nas reuniões dos meses seguintes esse número dobrou, e então o grupo de oração passou a acontecer na Capela do Santíssimo da Catedral de Bragança. Pouco tempo depois, outro grupo de pessoas da Vila Aparecida, foram fazer experiência de oração, na Vila Brandina, com Pe. Haroldo Hahmsj, que introduziu o TLC e depois a RCC no Brasil.

Em 1976, a RCC era uma realidade em Bragança Paulista. Todos estavam cheios do Espírito Santo e este fogo foi levado para outras cidades da Diocese (Pinhalzinho, Piracaia, Mairiporã, Itatiba, Vargem…) e também nos bairros rurais de Bragança, (Biriça, Água Comprida e outros).

Com o crescimento do movimento, (contávamos com aproximadamente 30 grupos na Diocese),houve a necessidade da organização, surgindo então a primeira equipe de servos, sobre coordenação e responsabilidade do Joca, cujo os objetivos eram;organizar encontros, promover o dialogo com o Bispo, com o Clero, com os outros movimentos e pastorais, e também com as lideranças nacionais da RCC.

Claro que nem tudo eram flores, e os problemas começaram a brotar de todos os lados. Houve muito descontentamento, incompreensão das pastorais, do Clero e de lideranças de outros Movimentos, em virtude da falta de conhecimento da espiritualidade e dos pilares da RCC.

De forma bem carinhosa, o então Bispo Diocesano D. Lafayette, escutou todos os argumentos do movimento e orientou a RCC, a aguardar o tempo de Deus, voltando a realizar os grupos de orações nas casas, mas pediu para que lhe fosse apresentado todo material literário do movimento com o intuito de estudar o mesmo.

A RCC de Bragança Paulista, na pessoa do Joca, passou a participar de todos os Congressos e aprofundamentos, adquirindo muita literatura sobre o Movimento, o Espírito Santo e Teologia, possibilitando o retorno de vários grupos de oração as igrejas.

Ainda em 1976, Joca passou a ser o representante da Diocese de Bragança Paulista, no Conselho Nacional, trazendo formação, instrução e edificaçãopara a Diocese através das lideranças da RCC como; Pe. Jonas Abib, Pe. Eduardo sj, Pe. Jack Connel, Tia Laura, Zé Pretinho. Neste momento cerca de 70 pessoas da diocese fizeram a experiência de oração na Casa de Maria em Queluz.

Em 1981, a Diocese de Bragança paulista sediou o 1º Congresso Estadual da RCC, com participação expressiva de lideranças da RCC de várias Dioceses de São Paulo.

Com isso a RCC se multiplicou em toda a Diocese e a partir de 1986 todos os grupos aconteciam nas igrejas. Os grupos de oração eram movidos por intensos momentos de oração. Com a chegada da Ofensiva Nacional, (década de 90), houve uma maior estruturação da RCC na diocese, iniciando as escolas de formação “Paulo Apóstolo”.

Em 1991 tivemos o 1º Cenáculo Diocesano assim como o 1º Encontro de Servos. Nessa época, a diocese era dividida em 04 foranias (Atibaia, Bragança, Itatiba e Mairiporã), cada uma com seu respectivo coordenador forâneo.

Foram organizadas dentro da Diocese as estruturas das secretárias (Moisés, Pedro, Rafael, Davi, etc..) e a partir da coordenação do Sr. Sebastião Coelho da Silva (Tião), o foco do trabalho foi a formação para os servos, organizando retiros, Seminários de Vida no Espírito, Seminários de Dons, etc. A Organização e a estruturação da Diocese junto a RCC Nacional e Estadual foram bastante notáveis nesta coordenação o que trouxe significativos ganhos para o nosso movimento.

No período de 1990 a 2000, atravessamos momentos de perseguições devido a dificuldade nos relacionamentos de alguns padres com servos de grupo de oração. Muitos grupos foram fechados e alguns deles por desobediência de suas coordenações. Foi necessária a intervenção da coordenação diocesana, a fim de levar a um maior discernimento aos servos, sobre a verdadeira identidade da RCC: “Vivência do Batismo no Espírito Santo, com todas as suas consequências (prática dos carismas e vida comunitária), visando uma vida de santidade e serviço” (Princípios da Ofensiva Nacional – 1990).

A partir desses eventos diocesanos, começaram a surgir várias vocações; Sacerdotes, Leigos consagrados, Missionários, Encontros de Rebanhão, Ministérios de músicas, dentre outros.

Atualmente a Diocese de Bragança Paulista está organizada em Regiões Pastorais, sendo elas;Região Pastoral de Bragança Paulista; Região Pastoral de Socorro; Região Pastoral de Atibaia; Região Pastoral de Piracaia; Região Pastoral de Itatiba; Região Pastoral de Caieiras; Região Pastoral Francisco Morato.

Hoje, temos cadastrados 58 grupos de oração, 652 servos, e a coordenação atual do Sr. Rinaldo José de Oliveira, tem como proposta para o biênio 2016/2017 conscientizar os servos sobre a importância de estarem em constante formação, facilitando e motivando, sua participação nos encontros nacionais, estaduais e diocesanos. Com isso temos obtido uma resposta positiva, como observado no ENF/2016 e no ENCONTRO ESTADUAL DE LIDERANÇAS.

Entre outros projetos e encontros, estamos organizando e estruturando a nossa diocese, dando continuidade aos trabalhos que com sucesso e aprovação vinham sendo realizados e executados pelas coordenações anteriores em especial a última gestão que teve como coordenador o Sr. Sebastião Coelho.

Temos ainda como meta para esta gestão atual a criação do novo estatuto Diocesano, o site da RCC, e outras formações contidas no Anuário 2016, e por último e não menos importante a construção da sede da Renovação Carismática Católica da Diocese de Bragança Paulista.

Ao longo desses 41 anos de RCC dentro da diocese de Bragança Paulista, tivemos como coordenadores: Joca, Ivo, Ana Lucia, Cleonice, Luis Carlos/Leonice, Tião (1997 a 2003), Ana, Reginaldo, Afonso, Tião, Rinaldo.